Content

Site do boletim do MST do Rio de Janeiro

Termina a quinta edição do EIVI Bahia

terça-feira 22 Fevereiro 2011 - Filed under Notícias do Brasil

Por Davi Montenegro e Alan Tygel, do Núcleo de Estudos e Práticas em Políticas Agrárias – NEPPA – BA.

A cabeça pensa, onde os pés pisam

“A cabeça pensa onde os pés pisam.” É com esta frase de Paulo Freire que os participantes do V Estágio Interdisciplinar de Vivência e Intervenção iniciaram a jornada de 18 dias pelos caminhos da luta pela reforma agrária na Bahia. Organizado pelo Núcleo de Estudos e Práticas em Políticas Agrárias (NEPPA), o V EIVI contou com a participação de 83 pessoas, entre estudantes universitários e profissionais, vindos de 7 estados do Brasil.

Turma do V EIVI-BA

Entre 10 e 28 de Janeiro de 2011, os estagiários fizeram a vivência em 2 acampamentos e 5 assentamentos do Recôncavo Baiano. Os primeiros 5 dias foram de formação, em colégios da cidade de Santo Amaro da Purificação. Os temas abordados foram: “A organização do MST”, “Como funciona a Sociedade”, “Opressão à Mulher”, “A questão agrária no Brasil”, “Educação Popular” e “O que é trabalho de base”. Além disso, houve duas mesas compostas por militantes do MST: uma sobre o que é o movimento, e outra sobre a função dos setores.

Estagiarios trabalhando

Em seguida, foram 10 dias de vivência e intervenção de 10 nas áreas de reforma agrária e 3 dias de avaliação, de volta a Santo Amaro. Diferentemente de outros estágios no Brasil, o EIVI Bahia inclui em seu nome a palavra “intervenção”. Em todas as áreas visitadas, há um trabalho permanente do NEPPA durante o ano, em Saúde, Agroecologia, Comunicação e Cultura, Juventude e Educação Popular. E durante o estágio, além da vivência, os participantes se envolvem nessas atividades. Portanto, o grupo resolveu assumir que há essa intervenção e procura garantir que ela seja feita de forma pacutada com as comunidades.

296

O estágio é uma oportunidade de refazer a formação política-ideológica dos estagiários, aprendendo na luta com os trabalhadores e trabalhadoras rurais como se dá a luta pela reforma agrária no Brasil. Nas palavras de Elisa Brazil, carioca que participou do estágio, o EIVI “foi uma experiência dura, maravilhosa e inesquecível. O início de uma transformação pessoal entendendo que essa se faz necessária para contribuir e fortalecer a nossa luta, da classe trabalhadora, em busca de uma sociedade livre e igualitária”.

eivi+781

321

Tagged: » »

2011-02-22  »  alantygel

Talkback x 2

  1. maria da conceiçao dos santos
    23 Fevereiro 2011 @ 16:00

    fiquei surpresa com tanta organizaçao. todas as pessoas
    que eu faço o relato sobre o EIVI estao querendo participar
    do proximo eivi. gostaria de sugerir que seja feito convite para
    os sindicatos. e assim teria uma participaçao dos militantes.
    vou passar estes relatos para o SINSEP/MG e outros aqui em
    Juiz deFora/MG.
    Mconceiçao.

  2. florencia
    23 Fevereiro 2011 @ 16:06

    felicidades!
    EIVI es una experiencia encantadora, tuve la posibilidad de hacerlo en río de janeiro-
    saudades..
    beijos!

Share your thoughts

Re: Termina a quinta edição do EIVI Bahia







Tags you can use (optional):
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>