Content

Site do boletim do MST do Rio de Janeiro

Ajude o MST: vamos pressionar pela desapropriação da usina Cambahyba

quarta-feira 30 Maio 2012 - Filed under Notícias do MST Rio

MST luta pela desapropriação da fazenda; no passado, corpos de militantes que lutavam contra a ditadura foram incinerados na usina do local

Assine: http://www.avaaz.org/po/petition/Desapropriacao_da_Usina_Cambahyba/?launch

No livro “Memórias de uma guerra suja” (Topbooks), o ex-delegado do DOPS Cláudio Guerra denuncia vários crimes da ditadura. O que mais causa indignação é saber que os corpos de dez militantes que lutaram contra o regime militar foram incinerados no forno da Usina Cambahyba, de propriedade de Heli Ribeiro Gomes.

João Batista Rita, Joaquim Pires Cerveira, Ana Rosa Kucinsk Silva e Wilson Silva, David Capistrano, João Massena Melo, Fernando Augusto Santa Cruz Oliveira, Eduardo Collier Filho, José Roman e Luiz Ignácio Maranhão Filho tiveram seus corpos incinerados, para que não ficassem vestígios das torturas impostas pela ditadura militar.

Segundo o ex-delegado do DOPS, a Usina, em troca, recebia facilidades como créditos e financiamentos. A Usina Cambahyba, cúmplice da violência do Estado, era beneficiada e protegida. Consta no livro:

“O local foi aprovado. O forno da usina era enorme. Ideal para transformar em cinzas qualquer vestígio humano. A usina passou, em contrapartida, a receber benefícios dos militares pelos bons serviços prestados. Era um período de dificuldade econômica e os usineiros da região estavam pendurados em dívidas. Mas o pessoal da Cambahyba, não. Eles tinham acesso fácil a financiamentos e outros benefícios que o Estado poderia prestar.” (Cláudio Guerra, ex-delegado do DOPS)

Prossegue, hoje, a proteção às terras da Usina Cambayba. E a violência continua. O Poder Judiciário Federal vem impedindo a desapropriação do complexo de 7 fazendas que totalizam 3.500 hectares.

Em 1998, as fazendas da Usina foram consideradas improdutivas e passíveis de desapropriação para fins de Reforma Agrária pelo INCRA, e objeto de um decreto presidencial.

Mas, ao longo desses 14 anos, o Poder Judiciário vem impedindo a desapropriação e promovendo despejos violentos das famílias que reivindicam a terra. No ano 2000, frente à morosidade do INCRA e do Poder Judiciário, 470 famílias organizadas no MST ocuparam o complexo de fazendas da Usina.

No mesmo ano, a Procuradoria da Fazenda Nacional de Campos dos Goytacazes iniciou um processo de arrecadação das terras da Usina, cujas dívidas com a União, ultrapassam R$ 100 milhões. Porém, esta tentativa foi frustrada pelo Governo Federal em 2003/2004, através do Plano de Refinanciamento das Dívidas dos empresários com a União (Refis).

A proteção do Estado ao latifúndio permanece. Em 2006, as Polícias Federal e Militar, por decisão da Justiça Federal de Campos, despejaram com violência famílias que viviam nas terras da Cambahyba. Houve agressões e prisões, casas e plantações foram destruídas.

A história da Usina Cambahyba ilustra o poder do latifúndio em nossa sociedade. É inaceitável que essa violência continue. Por isso, exigimos a imediata desapropriação das terras da Cambahyba para assentamento das famílias.

Frente a essa situação de permanente injustiça, solicitamos que enviem cartas:

Ao Juiz da 2ª Vara Federal de Campos:
02vf-ca@jfrj.jus.br
Praça São Salvador, 62 – 4º andar
28010-000 – Campos dos Goytacazes – RJ

Ao Ministro-Chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho:
gilbertocarvalho@presidencia.gov.br
Praça dos Três Poderes, Palácio do Planalto, 4ºandar
70.150-900 – Brasília-DF

Ao Ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas:
agendaministro@mda.gov.br
Esplanada dos Ministérios, Bloco A/Ala Norte
70050-902 – Brasília-DF

Pedimos que nos enviem uma cópia para o endereço: secretariamst.rj@gmail.com

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra

2012-05-30  »  alantygel

Talkback x 10

  1. Ana de miranda batista
    30 Maio 2012 @ 11:40

    E necessario Resgatar a memoria da luta e dos lutadores da resistencia a ditadura 64-85.

  2. julio cesar b. oliveira
    30 Maio 2012 @ 22:49

    isso só comprova uma coisa, que da época da escravidão, e da ditadura militar ao capitalismo de hoje em dia só mudou uma coisa o nome do regime adotado; Pois de lá até aqui a injustiça e o autoritarismo são os principais conceitos seguidos e exercidos; NA LUTA COMPANHEIROS VAMOS MUDAR ESSE BRASIL PARA MELHOR, NÃO AO CAPITALISMO E SIM A IGUALDADE.

  3. santino parrini
    1 junho 2012 @ 18:19

    Os torturados, presos e/ou mortos pela ditadura militar burguesa ainda recente… são exemplos vivos de que vale sempre lutar pelo melhor: um regime sem escravos e sem senhores, umregime sem empregados e sem patrões… Glória eterna a estes nossos valorosos camaradas-combatentes!…………. E os algozes/torturadores… como vivem!? Se é que isto é vida… contar para os filhos/netos e/ou outros que o seu passado (recente) era torturar/prender/matar os verdadeiros patriotas e interpatriotas brasileiros… Com certeza são covardes e mentirosos até nisso… E “vivem” como sombras… porque na verdade, nunca foram, nunca passaram e nunca serão mais do que isso: sombras, nada mais do que sombras (mesmo quando estiverem na cadeia pagando-e estes crimes não têm preço- por tais atrocidades).

  4. wilson piran
    2 junho 2012 @ 12:11

    Desapropriação da usina Cambahyba já.
    wilson

  5. ana miranda
    4 junho 2012 @ 11:57

    A desapropriação é mais do que justa. As famílias já esperaram demais, a decisão da justiça é de 1996.
    Que tal juntarmos a esta campanha a instituição de um pequeno centro de memória no local?
    Desapropriação e Memória, tudo a ver!

  6. MARCIUS DE CARVALHO PEREIRA
    5 junho 2012 @ 21:01

    SOLICITO DESVENDAR O PARADEIRO DOS RESTOS MORTAIS DE WALTER RIBEIRO NOVAES (CARECA) DA VPR QUE FOI MORTO NA CASA DE PETROPOLIS E SEU CORPO NÃO FOI RESGATADO ATE .HOJE, SE VIVO FOSSE SERIA INSPETOR DE POLICIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO POIS FAZIA PARTE DO SALVAMAR SUA HISTORIA SE ENCONTRA NA PAG. 167 DO LIVRO DIREITO À MEMÓRIA E A VERDADE DA COMISSÃO DE MORTOS E DESAPARECIDOS POLITICOS DA SECRETARIA ESPECIAL DOS DIREITOS HUMANOS DA PRES. DA REPUBLICA, COMO O EXERCITO TEM SEUS MÁRTIRES NA LUTA CONTRA A DITADURA A POLICIA CIVIL DO RJ TEM WALTER NOVAES COMO SEU MARTI NA LUTA CONTRA A DITADURA

  7. Boletim37 | Boletim do MST Rio
    14 junho 2012 @ 7:55

    […] Ajude o MST: vamos pressionar pela desapropriação da usina Cambahyba […]

  8. MST ocupa parque industrial da Usina Cambahyba em Campos dos Goytacazes | Boletim do MST Rio
    2 novembro 2012 @ 4:08

    […] Ajude o MST: vamos pressionar pela desapropriação da usina Cambahyba […]

  9. MST ocupa fazenda da Usina Cambahyba em Campos de Goytacazes « Articulação de Agroecologia do Rio de Janeiro
    6 novembro 2012 @ 12:28

    […] Ajude o MST: vamos pressionar pela desapropriação da usina Cambahyba […]

  10. :: Fazendo Media: a média que a mídia faz :: » MST ocupa fazenda da Usina Cambahyba em Campos de Goytacazes
    6 novembro 2012 @ 14:50

    […] de plantações. Assine pela desapropriação da fazenda Veja mais sobre a Usina Cambahyba: Ajude o MST: vamos pressionar pela desapropriação da usina Cambahyba MST luta para desapropriação de área onde militares incineravam militantes “Militantes de […]

Share your thoughts

Re: Ajude o MST: vamos pressionar pela desapropriação da usina Cambahyba







Tags you can use (optional):
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>