Content

Tag: campos dos goytacazes

A região norte-fluminense organiza seu XIX Encontro Sem-terrinha, com foco na educação como direito e na alimentação saudável. por Pablo Vergara Plenaria dos Sem Terrinha no Colégio Agrícola Antônio Sarlo, no Município de Campos dos Goytacazes. Foto: Setor de Educação MST RJ   Aproximadamente 120 crianças do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra, do Rio de […]

Fundado em 1997 após a desapropriação da Fazenda São José no município de Campos dos Goytacazes, o Assentamento Zumbi dos Palmares foi a primeira conquista do MST na região Norte do Rio de Janeiro. No último ano e meio, no entanto, o assentamento de 8,5 mil hectares, onde vivem 510 famílias, parece ter se tornado um lugar assombrado. Desde janeiro de 2013, quando foi assassinado Cícero Guedes dos Santos, coordenador do MST na região, quatro outros moradores locais já foram mortos em crimes que, em sua maior parte, restam sem punição. Alguns casos podem não ter ligação direta com a disputa de terra, mas ainda assim a situação deixa polícia, governo, ativistas dos direitos humanos e militantes do movimento sem-terra em estado de alerta frente à possibilidade de uma retomada do conflito agrário em uma região até recentemente marcada pelo mandonismo dos grandes criadores de gado e usineiros de açúcar.

The Mummy (2017) HD Director : Alex Kurtzman. Producer : Alex Kurtzman, Chris Morgan, Sean Daniel, Roberto Orci. Release : June 6, 2017 Country : United States of America. Production Company : Universal Pictures, K/O Paper Products, Sean Daniel Company, Secret Hideout. Language : English. Runtime : 110 Genre : Action, Adventure, Fantasy, Horror, Thriller. […]

Berlin Syndrome (2017) HD Director : Cate Shortland. Producer : Polly Staniford. Release : May 25, 2017 Country : Australia. Production Company : Screen Australia, Memento Films International, Film Victoria, Aquarius Films, Fulcrum Media Finance, DDP Studios, Photoplay Films. Language : English, Deutsch, Pусский. Runtime : 116 Genre : Thriller. ‘Berlin Syndrome’ is a movie […]

O Encontro Sem Terrinha do RJ ocorreu nos dias 12, 13 e 14 de outubro em Campos do Goytacazes e contou com a presença de aproximadamente 150 crianças de todas as regiões em que o MST atua no estado: Sul, Baixada e Norte Fluminense.

Há de 16 anos o estado do Rio de Janeiro vem realizando o Encontro Sem Terrinha, e este ano foi tratado o tema “Por Escola, Terra e Internacionalismo, Rumo ao VI Congresso do MST”.

No dia 09 de agosto ocorreu em Campos dos Goytacazes o I Seminário de Agroindustrialização dos Assentamentos do Rio de Janeiro na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Partindo do princípio que a Cooperação e a Organização são elementos fundamentais no desenvolvimento dos assentamentos de Reforma Agrária, o seminário teve como objetivo debater e estabelecer parcerias entre diversos atores nas esferas políticas, ambientais, econômicas e sociais da luta no campo em nosso estado.

Para atingir tal objetivo, o evento contou com uma diversidade de temas que contribuíram significativamente para o avanço das discussões entre os participantes, em sua maioria assentados do MST.

No final de semana de 03 e 04 de agosto de 2013, ocorreu mais uma etapa das oficinas de formação político-cultural nos acampamentos Osvaldo Oliveira, em Macaé, e Luis Maranhão, em Campos de Goytacazes. As atividades envolveram oficinas de formação política, oficinas de formação em saúde e oficinas culturais de teatro e capoeira.

Esta é mais uma atividade construída no contexto da parceria entre o Programa de Extensão Universidade Itinerante: formação político-cultural em direitos humanos voltado para comunidades rurais da baixada litorânea e região norte do estado, vinculado a Universidade Federal Fluminense de Rio das Ostras, e o MST-RJ. Nessa a etapa o tema trabalhado foi sobre os princípios e valores organizativos do Movimento, como a terra, a luta, o trabalho, os estudos, a solidariedade e a participação.

No dia 13 de agosto ocorreu a inauguração do espaço agroecológico Cicero Guedes dos Santos, na Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF. Este espaço é o reconhecimento do papel desempenhado pelo militante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra na universidade.

Há seis anos no pátio do CCTA é realizada a feira agroecológica que tinha como seu expoente principal o militante Cicero Guedes. Lá ele vendia seus produtos, os frutos de muito trabalho dedicado a produção de alimentos saudáveis, em uma luta que teve inicio com a ocupação da Usina São João, em 1997, e nunca mais parou.

No dia 13 de Julho aconteceu o primeiro mutirão agroecológico no Sítio Brava Gente, onde mora a família do Cícero Guedes, liderança do MST que foi tombado na luta no início desse ano. Com a intenção de aproximar a comunidade acadêmica, os alunos universitários e a própria sociedade na realidade dos assentados da reforma agrária, uma coisa que Cícero sempre valorizou, a iniciativa dos mutirões já teve seu segundo momento no dia 03 de Agosto.

A iniciativa tomada pelos alunos da UENF que se organizam no grupo de estudos agroecológicos AGROCRIOULO contou com a participação de dez alunos no primeiro mutirão.

A Comissão Pastoral da Terra do Rio de Janeiro (CPT/RJ) esteve reunida nesta manhã de sábado (10/08/2013) em Travessão de Campos (maior Quilombo urbano do estado) com diversas comunidades quilombolas e negras rurais e urbanas para avaliar a situação de sustentabilidade dos territórios e territorialidades negros em suas múltiplas dimensões.

O primeiro momento foi marcado pela animação da música de apresentação dos sujeitos e das suas respectivas comunidades. A importância da preservação da história através da oralidade foi destacada, momento em que cada comunidade relatou um conto que marcou sua trajetória de vida. Compreende-se que o Estado e toda a sociedade têm uma dívida histórica com as comunidades negras. A defesa das terras quilombolas é uma das linhas de ação da CPT/RJ, posto que na nossa região, territórios negros não estão legalizados expressos em suas territorialidades e resistências Um dos objetivos do encontro foi refletir sobre o conceito de Quilombo contemporâneo e sua auto-identificação, prevista no marco legal brasileiro. Para isso foi realizada uma dinâmica-oficina de mapeamento de uma comunidade negra que tem o seu acesso delimitado por fazendeiros das redondezas e, construídas alternativas de resistência.